” Manifesto Antropofágico” [ Osvaldo de Andrade]

•Março 11, 2008 • Deixe um Comentário

MANIFESTO : coisa manifestada; DECLARAÇÃO PÚBLICA ou solene das razões que justificam certos ATOS; PROGRAMA político; religioso; adj. claro; evidente; público.

ANTROPOFAGIA : s.f. estado; condição ou ato do que se ALIMENTA DE CARNE HUMANA.

A PROPOSTA : devorar a cultura e técnicas estrangeiras e digeri-las em nosso estômago cultural ou vomita-los se consideradas impróprias ou indigestas.

―• “Desmistificada satirizadamente em um termo pessoal histórico os fragmentos da sociedade elitezada, que se forma erroneamente pelos preceitos burgueses e católicos. Banaliza o catecismo e configura sua idéia de religião. O homem deve ser antropofágico, valorizar na integra sua raiz simplesmente sutil. Imaginação “ a alegria é a prova dos nove”. Criaturas incriadas , ilustradas por suas vestes, mascarados. Xô dinastia! Xô espírito bragantino! A realidade formal é opressora, sem complexos, sem loucura, sem prostituições e sem penitenciárias. O homem é puro ao natural, a idéia do Pau-Brasil entra no contexto indígena como raízes e caráter. Postura antropofágica é uma alternativa entre o nacionalismo, conservador, anti-europeu e a pura cópia dos valores ocidentais. Só a antropofagia nos une Socialmente , Economicamente, Filosoficamente.”

[FUSÃO] _ [FUSION] _ [FUSIONE]

•Março 11, 2008 • Deixe um Comentário

Ato ou efeito de FUNDIR; liga; MISTURA; aliança; associação; DERRETIMENTO pela força do calor.

Mistura das etinias e étnicas

Diferença/entre meios

Tribos/história

Cultura/povos

Mato-Grosso

•Março 9, 2008 • Deixe um Comentário

Estado que nasceu subjulgado pelo imperialismo da sua colonização, explodido pelo capitalismo exagerado de gana e exploradores das suas grandezas e belezas naturais. É um dos poucos Estados tipicamente “cultural”, mantendo fidelidade a Terra e as raízes. É lícito portanto afirmar que o Estado sintetiza uma MESTIÇAGEM de grupos étnicos, uma FUSÃO do índio, do negro e do branco, agregado ao seu espaço geográfico, formando uma econômica-social brasileira. Óptica inclusão entre o folclore, literatura, arte plástica, teatro, música, artesanato e até mesmo nos sabores da tradicional culinária misturando as suas DIFERENÇAS no dialeto típico e expressivo deste “povo” mato-grossense.

Visão Lúdica

•Março 2, 2008 • Deixe um Comentário

Meu mundo é onde se configura o meu espaço

Infâcia, lembrança, Desejo, Futuro, Destino

O meu povo , a minha cultura, o meu sangue

O que sei e o que nem mesmo sei?

Significados, alidado a um a curiosidade particular

O Tempo _ Espaço, o que não se codifica e o que não se ilustra – Invisível á Amostra!!!

O calor da sede, e os fragmentos da poeira

As mãos da arte a arte das mãos

Filosofias vãs, despertando um olhar urbano

Urbano – não! Lúdico e/ou trágico

Pintura, Dança, Rítimo, Dialeto, Costumes

O cheiro do fogão á lenha chegando com a música do nascer do dia –> cocho, viola

Peixe , maxixe —> Peitche com Matchitche!

Ritual dos pés, girando, girando na roda Cururu

Oh Chalana traz o coro do Siriri e mostre as coloridas/dramáticas Congadas das espadas opulentes da nossa nação e seus antepassados vangloreiros

Dignifica a Troika Pantaneira da nobreza com seu cordão de saideira

Ouço as vozes estridentes do silêncio naquela serena noite de Moda de Viola

Bugio, Toada, Catira

Este é o meu país, esta é a minha cara.